segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Isonomia? Pra quê? / Romário ou Elton? Eis a questão.‏

Creio ser essa mais uma da série: "IDEB para o alto e avante!", por Sergio Cabral Filho... A mais nova do governador é tratar de forma diferenciada os professores de matemática, física e química fazendo uma política salarial distinta para que permaneçam na rede estadual e supram a carência generalizada dessas disciplinas. Tá pensando que que é trote? "Pegadinha? Nada! A ideia saiu da mente brilhante do Sr. Cabral e ele até justifica isso, como um bom brasileiro, através de um exemplo futebolístico. Confiram aí abaixo:

Brasil Econômico: Mas há uma evasão muito grande de professores.

Sergio Cabral: Hoje muito menos. Pela minha experiência, caso seja reeleito, vou botar o dedo para valer. Alguns partidos radicais defendem princípios igualitários para desiguais. Em que sentido? O Romário não pode ganhar igual ao Elton [do Vasco]. Se nas escolas preciso de físico e químico, preciso ter uma política salarial diferenciada para eles.

O senhor vai estabelecer salário diferenciado para áreas onde há carência?

Não vou prometer qual será a solução. Temos que encontrar solução para essa evasão de algumas especialidades como química, física e matemática. Estamos estudando um plano de metas, plano de valorização por performance.


Fonte: Brasil Econômico

Será que o golpe de misericórdia do provável-governador-reeleito na educação será semear a discórdia entre os docentes com o fim na isonomia? Lembremos que essa já não existe entre docentes da Rede Regular e da Rede FAETEC, sendo a primeira subordinada à SEEDUC e a segunda à Secretaria de Ciência e Tecnologia.

P.S.: Agora estou em crise existencial pois descobri que sou Elton (???) e não eu mesmo... É cada uma que acontece nesse estado aqui...

Um comentário:

Anônimo disse...

OI li a reprotagem e não há menção para matemáticos, apenas químicos e físicos, huá, huá.